sexta-feira, 21 de abril de 2017

Mulheres não precisam de favores dos homens


As mulheres na Rússia ocupam mais espaço comparando-se ao que é observado em todo mundo, pelo menos é o que nos leva a acreditar com a leitura do artigo "Women don't need favors from men" publicada por Renata George no LinkedIn.


Segundo o artigo, mais de 40% dos cargos de executivos na Rússia são ocupados por mulheres, de acordo com o Relatório de Negócios Internacionais de Grant Thornton. De acordo com a Unesco, 29% das pessoas em pesquisa científica em todo o mundo são mulheres, contra 41% na Rússia. No Reino Unido, cerca de 4% dos inventores são mulheres, enquanto o número é de 15% na Rússia. 


O que é tão especial sobre as mulheres eslavas?


A Renata George explica que as mulheres eslavas não precisam de favores dos homens e consideram os homens um obstáculo menor do que chuva. Eles são imparáveis se eles querem algo suficientemente difícil! Essa atitude pode ser aprendida, no entanto.  


Ela recorre a fatos histórico que ajudam a entender as lições aprendidas para a serem visíveis nos negócios, sem dominar os homens. Ajuda também a entender porque elas sentem-se  seguras o suficiente para estar meio passo atrás dos homens e serem capazes de provar facilmente seu poder se desafiadas.


Dentre os fatos históricos, temos: 


  • Séculos de monarquia, quando o homem era  governante e único, com  poder absoluto e ilimitado na política nos negócios e na família. 


  • As mulheres sempre trabalhavam e sempre sustentavam seus homens.


  • O homem é a cabeça e sua mulher está atrás dele. Isso é tudo o que eles sabem, historicamente e culturalmente.


  • Em razão das guerras, os russos perderam 16 milhões de militares apenas na Segunda Guerra Mundial, as mulheres eram criadas para serem fortes e auto-suficientes é para preservar o trono do homem à espera de seu retorno.

A Renata George lista ainda 8 características que completam as explicações, de forma resumida:


1. Usar chapéus diferentes . Ter a capacidade de poder mudar seus papéis entre um chefe, uma dona de casa, uma amante e uma amiga a cada minuto. 


2. Ser trabalhadora. Não ter medo do trabalho duro. 


3. Integrar trabalho e vida. Trabalhar mais inteligente para economizar tempo para si.


4. Ter auto-confiança elevada. Ter uma imagem positiva de si mesmas.


5. Ser destemida. Não ter medo de ser rejeitadas. 


6. Aumenta a abertura. Ser muito aberta, direta,  intuitiva, inclusiva e curiosa.


7. Acostume-se à incerteza. Ter "incerteza" como palavra de ordem e  deixar sua zona de conforto como condições de vida.


8. Desenvolver a mentalidade de um hacker. Capacidade de pensar 360 graus, e não apenas "fora da caixa".


A linha de fundo é que as mulheres eslavas desempenharam o papel de um homem e isso não é algo que elas gostariam de fazer novamente. É por isso que elas não precisam competir com os homens e não querem lutar pelas rédeas. 


Elas respeitam os homens e obtém merecido respeito em troca. Assim, os homens as deixam aproximar-se e não têm medo de trabalhar de mãos dadas com mulheres eslavas. 


Nos países eslavos dizem que "o homem é a cabeça, mas as mulheres é o pescoço", por isso as mulheres lá governaram com sucesso os países por trás do ombro dos homens durante séculos. 


Caso tenha interesse da leitura na íntegra o artigo está disponível em https://www.linkedin.com/pulse/women-dont-need-favors-from-men-renata-george 



IDFM

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Chegou a hora dos nativos digitais?


Porque a transformação Digital não acontece de forma acelerada nas grandes corporações?

Será o peso do legado?

Acredito que sim! Mas... 

Acredito não está enganado, mas tenho observado que a parte superior da pirâmide social, onde estão inseridos os executivos de corporações, tem preferência, quase unânime, do uso de smartphone iPhone como ferramenta pessoal e vem direcionando a utilização de forma corporativa. 


Acredito que esta preferência pessoal não deveria contaminar as decisões de usar como ferramenta corporativa, uma vez que distância a corporação de seu clientes, basta uma leitura do perfil do mercado (Quadro abaixo) para entender que existe a distância.


A distância é grande, enquanto o IOS tem 15%, o Android tem 85% do parque. Onde vcs acham que estão os clientes? 


Acredito também que não existe dúvidas de que os dispositivos móveis, neste momento os smartphones dos clientes, são os instrumentos que levam as corporações para um mundo digital. 


Após fazer a leitura destes números referente a participação no mercado mundial de smartphones por sistema operacional, (acredito que no Brasil não é diferente) fui levado a refletir sobre o momento atual de transformação das empresas:


  • Será que esta distância é a causa raíz de estratégias de empresa tradicionais se tornarem  Empresa Digital, não conseguirem decolar? 


  • Será que este distanciamento, provoca a falta, dificuldades, de engajamentos dos clientes nas ferramentas utilizadas?


  • Será que a "experiência do Cliente" não esteja sendo percebida, por aqueles que "inovam" com novos App, por  viverem  mundo diferente do cliente? 


  • Será que eles enxergam que são mundos diferentes?


  • Será que não chegou a hora dos nativos digitais assumirem o protagonismo do futuro digital?


A distribuição do mercado, mostra a consolidação das preferências e não  existindo mudança disruptiva, esta distribuição vai continuar.


As Empresas Nativas Digitais entendem o mercado, por isso que temos novas e novas startups  surgindo e sendo  os grandes agentes de transformação!


Sim, Chegou a hora dos nativos digitais!


FONTE:  Statista – The portal for statistics



IDFM

Vamos que vamos!


Seu tempo é limitado, então não percam tempo vivendo a vida de outro. 

Não sejam aprisionados pelo dogma – que é viver com os resultados do pensamento de outras pessoas. 


Não deixe o barulho da opinião dos outros abafar sua voz interior. 


E mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e sua intuição. Eles de alguma forma já sabem o que você realmente quer se tornar. Tudo o mais é secundário.

 
Steve Jobs

terça-feira, 18 de abril de 2017

Rumo às nuvens II

O Gartner, alerta que, até 2020, a migração para Nuvem terá impacto direto ou indireto sobre uma porcentagem cada vez maior dos investimentos anuais em TI, transformando a computação em Cloud em uma das forças mais disruptivas nos mercados de Tecnologia da Informação desde os primeiros dias da era digital.


Selecionar corretamente os parceiro será o segredo para o sucesso.  Não adianta imaginar que ter soluções de empresas globais é garantia de disponibilidade. Disponibilidade se resolve com redundância em todos os níveis. 


Quem estiver bem posicionado para prover a redundância e permita e convivência de múltiplas soluções, grifes ou não, sairá na frente!


FONTE: http://www.bitmag.com.br/2017/04/gartner-alerta-que-migracao-para-cloud/

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Igualdade de gêneros é tabu no LinkedIn?

Impressionante como um tema  importante como esse, foi postado no LinkedIn e não despertou interesse da galera, me enganei quando acreditei que o Post seria polêmico, até porque envolvia uma grande empresa, tida como referência e é "sonho de consumo"  para trabalhar, como é o Google


Segundo a reportagem, o Google supostamente paga menos para as mulheres quando comparado com os funcionários do sexo masculino. 


Mas curioso ainda foi que não houve manifestação nem mesmo das mulheres... 


Será que por ser "Sonho de Consumo", o Google está imune das críticas para não "queimar o filme" esperando ser contratado um dia?


Será que o relatado no EUA acontece aqui no Brasil?


Porque este assunto não é tratado abertamente pela mulheres no ambiente profissional? 


Será que reivindicar igualdade fecha portas e nem homens nem mulheres se sujeitam em defender?


Será que é tabu debater no LinkedIn sobre Igualdade de gêneros?


Afinal, se muitos do mundo corporativo  com discurso  politicamente correto defendem a igualdade, Porque ainda existe o desequilíbrio? 


Francamente, não consigo entender como o discurso é tão distante das ações!


Segue matéria que motivou este Post.



O Google é processado por falta de pagamento igualitário. 

Google Discovery

O jornal The Guardian informa que o Departamento do Trabalho (DoL) dos EUA está processando o Google com a alegação de “falta de pagamento igualitário” entre homens e mulheres.

Segundo a reportagem, o Google supostamente paga menos para as mulheres quando comparado com os funcionários do sexo masculino.

A agência do governo teria “encontrado disparidades sistêmicas de compensação contra mulheres praticamente em toda a força de trabalho”.

O órgão americano apontou disparidades em salários a partir de 2015 e exigiu que a empresa a empresa divulgue registros adicionais para auxiliar na investigação.

A advogada Janet Herold, que representa o DoL, disse que a agência “recebeu evidências convincentes de discriminação muito significativa contra as mulheres nas posições mais comuns na sede do Google”.

Ela acrescentou: “A análise do governo neste momento indica que a discriminação contra as mulheres no Google é bastante extrema, mesmo neste setor.

Em resposta as acusações, um porta-voz do Google discordou das informações divulgadas na imprensa e afirmou que a empresa desconhece “a metodologia utilizada para chegar a esta conclusão”.

O buscador explicou que não permite que os gerentes de contratação vejam os dados de gênero dos candidatos quando recomendam salários.

“A cada ano, sugerimos um montante para a nova remuneração de cada empregado (composto por salário base, bônus e patrimônio) com base no papel, nível de trabalho, local de trabalho, bem como classificações de desempenho atuais e recentes. Esse valor sugerido é ‘cego’ ao gênero”, disse.



IDFM



#igualdadedegenero

Saúde mental vs Crise

Matéria publicado no site NewScientist, apresenta pesquisa realizada pelo Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, que  liga um alerta para o Brasil.

   

Como consequência da crise que estamos passando, uma legião de brasileiros com problemas de saúde mental deve seguir o mesmo caminho observado nos EUA, com o agravante que o sistema de saúde brasileiro não está preparado.


O estudo publicado no site NewScientist, da conta que os americanos estão experimentando sofrimento psicológico sério em números mais elevados do que nunca. Mais de 8 milhões de adultos nos EUA entre as idades de 18 e 64 têm problemas de saúde mental - que é 3,4 por cento da população do país.


O estudo os dados da pesquisa de 200.000 entrevistados entre 2006 e 2014, revelou que esta condição era mais prevalente em mulheres do que em homens, em adultos de meia-idade versus adultos mais jovens e em hispânicos e Negros versus pessoas brancas.


O estudo revela ainda que a recessão de 2007 a meados de 2009 pode ter contribuído para o aumento da doença mental e as consequências financeiras teriam sido mais duras para aqueles que mais precisam de cuidados de saúde.


O mais alarmante é a afirmação que "As pessoas com doença mental ficaram para trás". "Há uma geração de adultos de meia-idade que realmente estão sofrendo agora e se as políticas mudarem, se aumentarem o acesso aos cuidados de saúde mental e aumentarem a cobertura para os cuidados de saúde mental, poderá  salvar a próxima geração".


As descobertas do estudo também poderiam ajudar a explicar por que a taxa de suicídio dos EUA está em um máximo de 30 anos.


FONTE:  NewScientist.com 

👉https://www.newscientist.com/article/2127967-more-than-8-million-people-in-the-us-have-mental-health-problems/


sábado, 15 de abril de 2017

Defeito ou Backdoor para NSA?


Tá tudo dominado - Os documentos incluídos no release da Shadow Brokers sugerem que a NSA, depois de penetrar no firewall (Cisco) dos provedores de serviços SWIFT, usou explorações da Microsoft para segmentar os computadores que interagem com a rede SWIFT.


A Microsoft reconheceu as vulnerabilidades e disse que tinham sido corrigidas. Cisco Systems Inc já reconheceu que seus firewalls tinham sido vulneráveis.


Uma coisa é certa, esses "defeitos" não estão apenas no contexto da rede dos provedores de serviços SWIFT, mas no contexto de todos que fazem uso dos mesmos recursos Microsoft e Cisco.


Não dá para se confia cegamente na força de uma Marca, apenas pelo tamanho dela!


Pelo históricos, resta uma pergunta:


Essas Invasões são decorrentes de defeitos acidentais, ocasionais, de desenvolvimento ou são Backdoor desenvolvidos intencionalmente para atender aos interesses da NSA?


Vejam mais detalhes sobre acesso ao sistema de transferência de dinheiro SWIFT.


👉 http://reut.rs/2pkb53E



IDFM

Transferências bancárias globais monitoradas pela NSA


Reuters
Os hackers divulgaram nesta sexta-feira documentos que indicam que a agência de segurança nacional dos EUA acessou o sistema de mensagens interbancárias SWIFT, permitindo que ele monitorasse os fluxos de dinheiro entre alguns bancos do Oriente Médio e da América Latina.

A liberação incluiu o código de computador que poderia ser adaptado por criminosos para invadir servidores SWIFT e monitorar a atividade de mensagens, disse Shane Shook, um consultor de segurança cibernética que ajudou os bancos a investigar violações de seus sistemas SWIFT.

Os documentos e arquivos foram liberados por um grupo que se intitulava The Shadow Brokers. Alguns dos registros têm selos da NSA, mas a Reuters não pôde confirmar sua autenticidade.

A NSA não pôde ser imediatamente contactada para comentar.

Também foram publicados muitos programas para atacar várias versões do sistema operacional Windows, pelo menos alguns dos quais ainda funcionam, disseram pesquisadores.

Em uma declaração à Reuters, a Microsoft, fabricante do Windows, disse que não havia sido avisado por nenhuma parte do governo dos EUA de que tais arquivos existiam ou tinham sido roubados.

"Diferente dos repórteres, nenhum indivíduo ou organização nos contatou em relação aos materiais divulgados pela Shadow Brokers", disse a empresa.

A ausência de advertência é significativa porque a NSA soube há meses sobre a violação dos Shadow Brokers, disseram anteriormente autoridades à Reuters. Sob um processo da Casa Branca estabelecido pela equipe do ex-presidente Barack Obama, as empresas geralmente eram avisadas sobre falhas perigosas.

Shook disse que hackers criminosos poderiam usar as informações divulgadas na sexta-feira para invadir bancos e roubar dinheiro em operações que simulam um assalto no ano passado de 81 milhões de dólares do banco central do Bangladesh.

"A liberação dessas capacidades poderia permitir a fraude como vimos no Bangladesh Bank", disse Shook.

O sistema de mensagens SWIFT é usado pelos bancos para transferir trilhões de dólares por dia.A SWIFT, com sede na Bélgica, minimizou o risco de ataques usando o código liberado por hackers nesta sexta-feira.

A SWIFT informou que publica regularmente atualizações de segurança e instrui os bancos de clientes sobre como lidar com ameaças conhecidas.

"Nós mandamos que todos os clientes apliquem as atualizações de segurança dentro de determinados horários", disse a SWIFT em comunicado.

A SWIFT afirmou não ter nenhuma evidência de que a principal rede SWIFT tenha sido acessada sem autorização.

É possível que os sistemas de mensagens locais de alguns bancos de clientes SWIFT tenham sido violados, informou a SWIFT em um comunicado, que não mencionou especificamente a NSA.

Quando os ciber-ladrões roubaram o Banco do Bangladesh no ano passado, eles comprometeram a rede local SWIFT do banco para pedir transferências de dinheiro de sua conta no New York Federal Reserve.

Os documentos divulgados pela Shadow Brokers na sexta-feira indicam que a NSA pode ter acessado a rede SWIFT através de agências de serviço. As agências de serviço SWIFT são empresas que fornecem um ponto de acesso ao sistema SWIFT para os clientes menores da rede e podem enviar ou receber mensagens sobre transferências de dinheiro em seu nome.

"Se você hackeia a agência de serviços, isso significa que você também tem acesso a todos os seus clientes, todos os bancos", disse Matt Suiche, fundador da empresa de segurança cibernética Comae Technologies, com sede nos Emirados Árabes Unidos, que estudou as revelações do Shadow Broker  e acredita que o grupo tem acesso a arquivos NSA.

Os documentos postados pelo Shadow Brokers incluem arquivos de Excel listando computadores em uma rede de agências de serviços, nomes de usuários, senhas e outros dados, disse Suiche.

"Isso é informação que você só pode obter se você comprometer o sistema", disse ele.

TENTAR MONITORAR O FLUXO DE DINHEIRO

Cris Thomas, um proeminente pesquisador de segurança da empresa de segurança cibernética Tenable, disse que os documentos e arquivos divulgados pelos Shadow Brokers mostram que "a NSA conseguiu comprometer os sistemas bancários SWIFT, presumivelmente como uma forma de monitorar, se não interromper, Grupos terroristas ".

Desde o início da década de 1990, a interrupção do fluxo de dinheiro da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes Unidos e de outros países para a Al Qaeda, os talibãs e outros grupos islâmicos militantes no Afeganistão, no Paquistão e em outros países tem sido um dos principais objetivos das agências de inteligência americanas e aliados. 

Mustafa Al-Bassam, pesquisador de informática do University College de Londres, disse no Twitter que os documentos da Shadow Brokers mostram que a "NSA hackeou um bando de bancos, companhias de petróleo e investimentos na Palestina, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Catar e Iêmen.

"Ele acrescentou que a NSA "hackeou completamente" EastNets, uma das duas agências de serviço SWIFT nomeado nos documentos que foram lançados pela Shadow Brokers.

A Reuters não conseguiu confirmar de forma independente que a EastNets havia sido hackeada.

A EastNets, com sede em Dubai, negou ter sido invadida em um comunicado, chamando a afirmação de "totalmente falsa e infundada".

A EastNets fez uma "verificação completa de seus servidores e não encontrou nenhum comprometimento de hackers ou qualquer vulnerabilidade", de acordo com uma declaração do executivo-chefe e fundador da EastNets, Hazem Mulhim.

Em 2013, documentos divulgados Edward Snowden, disseram que a NSA conseguiu monitorar as mensagens SWIFT.

A agência monitorou o sistema de pagamentos à vista destinados a financiar crimes, de acordo com os documentos divulgados pela Snowden.

A Reuters não pôde confirmar se os documentos divulgados na sexta-feira pelos Shadow Brokers, se autênticos, estavam relacionados ao monitoramento da NSA das transferências SWIFT desde 2013.

Alguns dos documentos divulgados pelos Shadow Brokers datam de 2013, mas outros não foram datados.

Os documentos divulgados pelos hackers não indicaram claramente se a NSA realmente usou todas as técnicas citadas para monitorar mensagens SWIFT.

FONTE: Reuters - Clare Baldwin
http://feeds.reuters.com/~r/reuters/technologyNews/~3/_NKHGYt8xlA/us-usa-cyber-swift-idUSKBN17G1HC

IDFM

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Rumo às nuvens


Enquanto o estudo realizado por Morgan Stanley com 100 CIOs de grandes empresas no EUA e Europa, publicado em CIO.COM, revela que o orçamentos globais deverão aumentar em 4,5% em 2017, o mercado brasileiro se comportará de forma diferente, pelo menos é o que revela o estudo da IT Data e publicado em ITFORUM365.COM.


O otimismos com a economia europeias e americana, não é o mesmo quando se fala de Brasil. Segundo o estudo da IT Data, 80% dos entrevistados reduzirão ou não farão novos investimentos, aqueles que estarão investindo, farão para fazer ampliação decorrentes do crescimento da empresa ou para  atualização do parque existente. Uma revelação muito preocupante!


O lado positivo do estudo é que os 15% que estarão reduzindo o investimento, farão  apostando na implantação de soluções de Cloud, coincidindo as prioridades do mercado europeu e americano. 


As prioridades de gastos na Europa e EUA incidem em  Cloud Computing, Software de segurança, Analytics, equipamentos de rede e aplicações de ERP e CRM.

Enquanto que  investimento de hardware, incluindo servidores, impressoras e desktops, estão na parte inferior das prioridades de orçamento conforme os gastos mudam para a nuvem.


Apesar das diferenças de mercado, os dois estudos mostram a consolidação na direção da utilização de Cloud.


O estudo Morgan Stanley,  aponta para um aumento ritmo de adoção de Cloud,  22% das aplicações irão migrar para Cloud em 2017 e 49% até 2020, entanto no estudo de IT Data, 34% dos entrevistados responderam que  começarão a utilizar Cloud publica, 21%  Cloud Híbrida e 11%  Cloud Privada.


Independente dos percentuais, a sinalização é o rumo às nuvens, o que menos de deseja nesta viagem são nuvens carregadas de tempestade e turbulência. 


O certo é que "Muitas águas vão rolar" e não adianta imaginar que ter soluções de empresas globais é garantia de disponibilidade e segurança, havia vistas as recentes ocorrências do Azure e AWS.


Disponibilidade se resolve com redundância em todos níveis.


Quem estiver bem posicionado para prover a redundância e permita e convivência de múltiplas soluções, grifes ou não, sairá na frente!


FONTE: CIO.COM e ITFORUM365.COM

 

IDFM




Precisamos virar a página!

Enquanto não houver uma conclusão deste REBU que o Brasil está mergulhado, as "páginas policiais" e a "república de Curitiba", continuarão  sendo os direcionadores dos investimento e da economia no Brasil! 


As mesas de negociações de acordos de Delações Premiadas e os Acordos de Não Delação, do submundo político, estarão frente a frente, que, aliado a uma justiça especialista em procrastinar decisões, deixa a sociedade parada sem que se consiga virar a página!


Chega! 


Precisamos virar a página! 


Precisamos de um país Melhor!

terça-feira, 11 de abril de 2017

Violência - Ranking das cidades Brasileiras no Mundo



Muito preocupante, Das 50 cidades mais violentas do mundo, 20 são brasileiras, vejam as posições delas no ranking:


10 - Natal

11 - Belémp

12 - Aracaju

15 - Feira de Santana

16 - Vitória da Conquista

19 - Campos dos Goytacazes

20 - Salvador

25 - Maceió

28 - Recife

29 - João Pessoa

33 - São Luís

35 - Fortaleza

38 - Teresina

39 - Cuiabá

42- Goiânia e Aparecida de Goiânia

45 - Macapá

46 - Manaus

47 - Vitoria

49 - Curitiba


Fonte: http://exame.abril.com.br/brasil/das-50-cidades-mais-violentas-do-mundo-19-sao-brasileiras/


domingo, 9 de abril de 2017

Engenharia social - Todo cuidado é pouco!

T

Espero que esteja equivocada esta crença para o mercado Brasileiro, mas é preocupante que dentre as seis técnicas de engenharia social muito eficazes, se destaca em quarto lugar a técnica do Falso Recrutador. 


Seria este o motivo de, no LinkedIn, ter tanta gente reclamando que não recebe retorno nos headhunters?


Engenharia social é termo utilizado para descrever um método de ataque, onde alguém faz uso da persuasão, muitas vezes abusando da ingenuidade ou confiança do usuário, para obter informações que podem ser utilizadas para ter acesso não autorizado a computadores ou informações.


Com tantos headhunters procurando candidatos a emprego, ninguém suspeita quando um falso recrutador vem inflar o ego de um funcionário e oferecer posições sedutoras só para obter informações.


Nestes casos o crimino, travestido de headhunter, pode ameaçar dizer ao chefe do empregado que ele está planejando deixar a empresa e já compartilhou informações confidenciais para fazer a vítima informar suas senhas de acesso aos sistemas.


As empresas investem fortemente nas ferramentas para prevenir ataque, invasões e fraudes, mas acredito que a engenharia social é a principal causa destas invasões, ataques e fraudes, usam do recurso mais frágil do contexto, o ser humano. 


Todo cuidado é pouco!


Vale a pena a leitura e divulgação desta matéria, repasse para seu contatos, funcionários, instrua seu idosos, suas crianças e empregados domésticos.


http://cio.com.br/tecnologia/2017/04/09/conheca-seis-das-tecnicas-de-engenharia-social-muito-eficazes



IDFM

quarta-feira, 5 de abril de 2017

As trincheiras da guerra cibernética continuam em fogo cruzado.



Agora chegou a vez da França anunciar que  prepara exército de hackers para guerra cibernética


O País realiza exercícios para reunir e criar força de talentos que irão combater esforços digitais de desestabilização.


O plano dos franceses é criar um exército, de talentos em espionagem cibernética para combater esforços digitais de desestabilização, com 3,2 mil soldados em operação e outros 4,4 mil reservistas para atuar caso necessário.


A França segue o mesmo movimento que foi anunciado pelo governo da Alemanha,  que terá um comando de defesa cibernética com mais de 15 mil pessoas. Para a chanceler Angela Merkel, proteger a infraestrutura alemã contra possíveis ataques cibernéticos é uma prioridade.


Da mesma forma que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que vem o ciberespaço um assunto operacional oficial de guerra, juntamente com ar, terra e mar.


Estas iniciativas pelos dos governos, demonstram o quanto de intenso vem sendo travada a guerra cibernética nos bastidores da vida digital, sem que o público em geral tenha conhecimento e ratifica a importância da segurança cibernética e a transformação em um novo segmento de negócio, como abordamos em outros Post que tivemos aqui no AvisAra.


Veja outras publicações que abordamos este assunto:



As trincheiras da guerra cibernética continuam em fogo cruzado. 



IDFM